2007-10-29

Politiquices

Se pedirmos a um político que nos diga a verdade, somente a verdade, nada mais que a verdade, o resultado final será a obtenção de 3 respostas diferentes!

2007-10-24

Vitalidade

Recentemente em conversa com um amigo, com idade a tocar o limiar das 85 primaveras, perguntei-lhe: "Então... já tomaste a vacina contra a gripe, este ano?". Ouvi então a resposta pronta da sua boca: "Bem, sabes... não convêm habituar o corpo a essas coisas...!"
Rapidamente arquivei mentalmente uma nota: "não lhe voltar a perguntar destas coisas antes dos 120 anos de idade..."

2007-10-22

Aprisionados

"Ninguém pode contemplar o belo e irrigar a sua vida com sentido se for prisioneiro dentro de si mesmo. Quem está aprisionado exteriormente, por barras de ferro, ainda pode ser livre para pensar e sentir. Quem é prisioneiro interiormente, no âmago de sua alma, além de perder a liberdade de pensar e sentir, perde também o encanto pela vida e esmaga o mais belo elo da existência."
- A. Cury

2007-10-18

A lâmpada eléctrica

Recentemente assisti a um documentário que explicava as diferentes fases do processo produtivo de um objecto aparentemente banal, mas assaz complexo: a lâmpada eléctrica.
Desde Edison, que a lâmpada eléctrica revolucionou os usos da nossa sociedade. Analisar detalhadamente o seu processo, desde o fabrico do vidro até à "tecelagem" do filamento de tungsténio, passando pelos sucessivos testes de qualidade a que estes são submetidos, foi deveras interessante.

Gostava de destacar uma dessas fases... Quando na fase de fabrico do vidro para o "bolbo" da lâmpada, se este não resistir aos testes de vibração e diferencial térmico, este será devolvido novamente ao forno... Então, para o vidro, o processo iniciar-se-à novamente. O alto-forno oferece a possibildade de uma nova utilização e de uma nova oportunidade para o vidro "rejeitado": o de cumprir a sua função com eficácia e vir a incorporar o produto final.
Este processo pode não ocorrer apenas uma vez, mas o seu aprimoramente poderá levar a várias viagens de volta para o forno.

Pena que tantas vezes, não reconheçamos que as "fornalhas" porque passamos, são apenas uma forma de termos novas oportunidades, de sermos refinados, aperfeiçoados, apurados para que o objectivo final de alumiar e dar luz seja conseguido.

2007-10-15

2007-10-09

Recortes

[Se chamares experiências às tuas dificuldades e recordares que cada experiência te ajuda a amadurecer, vais crescer saudável e feliz, não importa quão adversas pareçam as circunstâncias. Fica então o desafio: "crescer em conhecimento e graça!"]

[A consciência das nossas forças fá-las crescer. Nunca poderás dizer: "Não sou capaz!" sem primeiro haveres tentado...Esforça-te e tem bom ânimo!]

Os "recortes" endereçados a dois alunos meus , contrastam com o "status" instalado: a decrepidez que a falta de perseverança e a inércia geram.

2007-10-03

Desabafo

Enuncio uma banalidade: "o mundo está a mudar". Hummm...
Fala-se na mudança, na (in)capacidade de gestão dessa mesma mudança, escreve-se e vive-se. Hoje, curiosamente sinto-a! Não falo apenas das alterações climáticas visíveis ano após ano, mas também das alterações dos comportamentos sociais, das metodologias organizacionais, dos paradigmas e referênciais normativos, enfim, da vida que ao nosso lado passa. Consequências de um relativismo exarcebado emergente da sociedade pós-moderna.
Em Biologia, o desaparecimento completo de uma espécie, causada pela destruição do habitat, predação ou pela incapacidade na adaptação suficientemente rápida às mudanças no ambiente natural é denominado de Extinção. Hoje sinto-me neste processo de extinção rápida. Sou confrontado com a velocidade de aceleração deste processo de mudança ao qual sinto-me impotente para o travar... Narcisicamente sempre me considerei apto para lidar com ele, afinal...
A entropia que se gera em todo este processo esmaga qualquer tentativa de impor ordem no caos. A alternativa? Talvez o refúgio com os "monges da cartuxa"!
Bem, pensando melhor, naaaa...
Embora as necessidades materiais e emocionais sejam diferentes das de um passado recente, algo permanece imutável: as necessidades espirituais de cada ser humano. Contudo a resposta permanece eficazmente a mesma: os braços estendidos do Pai!