2009-10-29

Para descontrair

P: "Porque é que o powerpoint está deprimido?"
R: "Porque chegou ao último (dia)positivo."

2009-10-27

(Des)equilíbrios

Só se desequilibra quem tenta andar. Talvez o desequilíbrio até provoque a queda, mas pelo menos sempre leva para próximo do destino desejado. O ficar parado, quase no limiar do estado "catatónico" talvez aparente ser menos doloroso ou tranquilo, no entanto apenas se traduzirá no aprofundar do vazio que a inacção atrai.

2009-10-22

O José "Saboramargo"

Já não é nova esta tendência de José "Saboramargo" incidiosamente causar provocação nos cristãos. Mas como dizia ontem um frade capuchinho na Edição da Noite da SIC: "Saramago pode não gostar de Deus, mas Deus ama a Saramago"!
O Amor sempre vencerá...

2009-10-20

O verdadeiro "Hamas"

A realidade que os "media" ocidentais teimam em não revelar, mas que as fotos não deixam dúvidas:




- Casamento entre os "heróis" do Hamas e meninas com idade inferior a 10 anos

lido em: http://advhaereses.blogspot.com/2009/08/hamas-incentiva-pedofilia.html

2009-10-19

Perdão

"O perdão é um acto da vontade e a vontade pode funcionar independentemente da temperatura do coração." - Corrie Ten Boom

2009-10-16

Audácia

(...) Deve ser bem considerado que a audácia é sempre cega, para não ver os perigos e as inconveniências. Por isso ela é má no conselho e boa na execução; para bem aproveitar e utilizar as pessoas audacciosas é preciso que elas nunca estejam na chefia do comando, mas em segundo lugar, sob a direcção de outros. Porque no conselho é bom ver os perigos, e na execução é bom não os ver, excepto quando forem muito grandes.
Francis Bacon, in 'Ensaios - Da Audácia'

2009-10-15

Afinal o que é a vida...


"Que é a vossa vida? Sois um vapor que aparece por um pouco e logo se desvanece" - Tia 4:14

2009-10-13

Simbioses, ou talvez não...

Aos neuróticos atribuímos a construção de "castelos". Os psicóticos, por sua vez, moram neles. São porém os psiquiatras que recebem a renda.

2009-10-09

Relacionamento ou "verdade"

Muitas vezes tenho sido confrontado com esta conflitualidade: devo preservar um relacionamento à custa da "verdade" ou sacrificar um relacionamento e preservar a "verdade"? O "falar verdade" é muitas vezes mais custoso que a aparente tolerância, pelo que se torna mais fácil a adopção de uma prática permissiva e passiva e abandonar ou suscitar a confrontação. Pessoas, serão sempre mais importantes que ideias ou coisas, no entanto não será o "teste do falar a verdade" essencial para o ajuizar da "verdade" do próprio relacionamento?

2009-10-07

Viagens

Tenho para mim que a melhor parte de uma viagem, é saber que existe um "lugar" para onde regressar.