2009-12-24

Bom Natal

"A época chegou
E as ruas vão-se iluminar,
por toda a parte sente-se o Natal.
Há presentes para dar
E presépios tentando ilustrar
A história de Jesus que é costume contar.
Mas pra nós Ele não é um mito,
Sua história é real,
Um dia Ele nos visitou
E nos libertou de todo o mal

Ele vive hoje,
Se move em nós,

Dá-nos paz
Como Ele é real
E está coroado de glória,
Contemplamos Sua graça Em nos vir salvar,
E como em nós,
Ele quer nascer hoje em ti,
Para que o Natal não seja apenas
Um ritual,

Ele vive hoje!

Se eles pudessem compreender,
E parar um pouco p'ra pensar
No que é um verdadeiro: 'Feliz Natal'
É que Jesus veio nascer
Já sabendo porque ia morrer
Pois Ele não era um homem
Como outro qualquer
É o Emanuel: Deus connosco
Que morreu p'ra nos salvar
E ressuscitou p'ra nos dizer
Qu'Ele pode vida eterna dar

Ele vive hoje,
Jesus não é um mito
Sua história é real
Um dia Ele nos visitou
E nos libertou de todo o mal

Ele vive hoje, se move em nós
Dá-nos paz,
Ele é real,
Ele vive hoje!"

-Pedro Gonçalves, 1994


2009-12-18

O velho professor

Recentemente li uma afirmação do Prof. Agostinho da Silva que dizia: "A pior coisa que pode acontecer, é alguém ter a verdade. A melhor, é ser verdade."
Como isto faz sentido, nos dias que correm, em que o "ter" passou a ser o fim a atingir, deixando o "ser" envergonhado e encoberto, sufocando agonizante sob uma qualquer capa neo-burguesa.
Também no campo dos "valores", estes só fazem sentido, se são vividos e não apenas exibidos.

2009-12-14

E agora...

Recentemente vivi uma das experiências mais constrangedoras que alguém pode ter. Solicito, consenti em participar no musical do "Dia do Colégio" da minha filha. A participação passava por assumir a representação de uma das personagens principais e por cantar duas músicas a solo. Consciente da minha limitação crónica com a memorização das letras das músicas, tinha combinado que as mesmas seriam projectadas numa das paredes do pavilhão. Acontece, que pela afluência das pessoas, a letra acabou por ser encoberta parcialmente, exactamente no momento da minha intervenção. E agora que fazer?
Era ver cerca de 500 pessoas presentes expectantes, e... a minha débil memória eclipsou-se! O playback corria e naqueles 3 a 4 segundos, que se traduziram numa eternidade, não saiu mais que um lá-rá-lá envergonhado. E agora... bem o pânico lá se foi esbatendo e o recurso ao improviso lá foi conseguindo gerar uma nova letra para a canção.
Não poderia ter entrado pior em cena. A minha "performance" estava irremediavelmente destruída. Que fazer? Duas opções: ou ficava condicionado pelo arranque desastroso, ou ultrapassava o embaraço e prosseguia. Optei pela segunda alternativa.
Pena que na vida, nem sempre consigamos deixar para trás tudo o que nos amarra e nos serve de embaraço para prosseguirmos confiadamente para o alvo.

2009-12-07

A visitar

Até 21 de Dezembro, o Museu das Comunicações, em Lisboa, apresenta a exposição multimédia “A Bíblia para todos”, uma iniciativa da Sociedade Bíblica, por ocasião dos 200 anos da primeira distribuição da Bíblia em Portugal. Nestes dias chuvosos, aqui fica a recomendação.
Como destaque da visita, poderá ser visto um robot "copista" que copia as escrituras a uma velocidade semelhante a que os monges copistas da Idade Média o fariam. Assim, um exemplar das escrituras demoraria cerca de 14 meses a estar completo. Encontra-se ainda em exposição a Bíblia mais pequena do mundo e exemplares de edições dos sec. XV a XXI, entre outras.

2009-12-04

A Moral

Na evolução natural da língua, algumas palavras caíram em desuso, outras há que ganharam um significado pejorativo. Enquanto concluía os comentários sobre o filme "17again", uma aluna aponta-me o dedo diz: "o 'setore' é um moralista, afinal de contas, todos os pais o são...".
Confesso que já me chamaram muita coisa mas "moralista" foi a primeira vez...
Esta intervenção ousada, traduziu-se numa excelente oportunidade para lhes apresentar uma ideia base e central: "a moral, pela moral, de nada aproveita... a moral sem Deus, é vazia".

2009-12-03

Eu também não

Perguntava-me a minha filha: "Papá, sabes com que é que eu sonhei hoje?", respondi de imediato: "Com o teste de matemática!" - e acrescentei: "É normal!" - afinal de contas ela tinha estado a preparar-se para ele durante o fim de semana...
"Sonhei que me correu mal!" - acrescentou. "É normal!" - foi a minha exclamação, até porque muitas vezes me tinha acontecido o mesmo. Ela ainda acrescentou: "Mas depois sonhei com a correcção, talvez isto queira dizer que não esteja assim tão mal!"
"Pois..." - respondi... essa parte é que nunca me tinha acontecido a mim...

2009-11-30

Portugueses "sempre" solidários

Iniciou-se este fim-de-semana, a recolha de alimentos para o "Banco Alimentar". Apesar da crise que vai atingindo a maioria das famílias portuguesas, o sentido de solidariedade não foi posto em causa e registou-se o maior volume de donativos, chegando a quase 2.500 toneladas de alimentos. Bem haja a todos, que despretensiosamente contribuíram.
A campanha permanecerá até ao dia 6 de Dezembro em algumas cadeias de supermercados através da campanha "Ajuda Vale".

2009-11-17

Leituras

"Descobri que a leitura é uma forma servil de sonhar. Se tenho de sonhar, porque não sonhar os meus próprios sonhos?"
- Fernando Pessoa, in 'O eu profundo'

2009-11-11

Escola TV

Este é um projecto ímpar tanto pela qualidade como pelo empenho dos seus promotores. Na minha procura de reunir informação para a criação de um projecto de webTV dei de caras com este canal produzido pelo Nuno Relvas e Pedro Moreira. Gostaria de destacar a rubrica "Língua, Dialectos, Dizeres e Falares". Parabéns a ambos e à própria comunidade educativa da Escola Secundária de Vale de Cambra pela iniciativa.

Para ver em http://www.escolatv.pt.vu/

2009-11-09

Foi há 20 anos


Porque continua a ser bem mais fácil para o Homem construir muros do que pontes?

2009-11-05

O ferro, a areia e o cimento

Na construção em betão armado, são utilizados 3 componentes essenciais: o ferro, a areia e o cimento. Certo prédio ruiu, pelo que foram chamados a julgamento estes 3 componentes para apuramento de responsabilidades. O primeiro foi o ferro que advogou em sua defesa que tinha sido utilizado a quantidade devida e todos os requisitos especificados no caderno de encargos haviam sido cumpridos. Da mesma forma a areia demonstrou que tinha sido utilizada nas proporções correctas. Por último foi chamado o cimento para a apresentar a sua defesa. Presunçosamente afirmou na sua defesa: "Eu? Culpado? Eu nem estava lá!"

Quantas vezes a "presença" de qualquer um de nós seria o suficiente para que a "casa" não viesse abaixo e o "desastre" não acontecesse... Um simples "estar lá" seria o suficiente para que a escuridão se dissipasse, a dor fosse confortada, a esperança ressurgisse.

2009-10-29

Para descontrair

P: "Porque é que o powerpoint está deprimido?"
R: "Porque chegou ao último (dia)positivo."

2009-10-27

(Des)equilíbrios

Só se desequilibra quem tenta andar. Talvez o desequilíbrio até provoque a queda, mas pelo menos sempre leva para próximo do destino desejado. O ficar parado, quase no limiar do estado "catatónico" talvez aparente ser menos doloroso ou tranquilo, no entanto apenas se traduzirá no aprofundar do vazio que a inacção atrai.

2009-10-22

O José "Saboramargo"

Já não é nova esta tendência de José "Saboramargo" incidiosamente causar provocação nos cristãos. Mas como dizia ontem um frade capuchinho na Edição da Noite da SIC: "Saramago pode não gostar de Deus, mas Deus ama a Saramago"!
O Amor sempre vencerá...

2009-10-20

O verdadeiro "Hamas"

A realidade que os "media" ocidentais teimam em não revelar, mas que as fotos não deixam dúvidas:




- Casamento entre os "heróis" do Hamas e meninas com idade inferior a 10 anos

lido em: http://advhaereses.blogspot.com/2009/08/hamas-incentiva-pedofilia.html

2009-10-19

Perdão

"O perdão é um acto da vontade e a vontade pode funcionar independentemente da temperatura do coração." - Corrie Ten Boom

2009-10-16

Audácia

(...) Deve ser bem considerado que a audácia é sempre cega, para não ver os perigos e as inconveniências. Por isso ela é má no conselho e boa na execução; para bem aproveitar e utilizar as pessoas audacciosas é preciso que elas nunca estejam na chefia do comando, mas em segundo lugar, sob a direcção de outros. Porque no conselho é bom ver os perigos, e na execução é bom não os ver, excepto quando forem muito grandes.
Francis Bacon, in 'Ensaios - Da Audácia'

2009-10-15

Afinal o que é a vida...


"Que é a vossa vida? Sois um vapor que aparece por um pouco e logo se desvanece" - Tia 4:14

2009-10-13

Simbioses, ou talvez não...

Aos neuróticos atribuímos a construção de "castelos". Os psicóticos, por sua vez, moram neles. São porém os psiquiatras que recebem a renda.

2009-10-09

Relacionamento ou "verdade"

Muitas vezes tenho sido confrontado com esta conflitualidade: devo preservar um relacionamento à custa da "verdade" ou sacrificar um relacionamento e preservar a "verdade"? O "falar verdade" é muitas vezes mais custoso que a aparente tolerância, pelo que se torna mais fácil a adopção de uma prática permissiva e passiva e abandonar ou suscitar a confrontação. Pessoas, serão sempre mais importantes que ideias ou coisas, no entanto não será o "teste do falar a verdade" essencial para o ajuizar da "verdade" do próprio relacionamento?

2009-10-07

Viagens

Tenho para mim que a melhor parte de uma viagem, é saber que existe um "lugar" para onde regressar.

2009-09-29

Uma questão de coerência

Recentemente numa conversa mesclada de castelhano, catalão, português do norte e "portunhol", o assunto virou para a temática do criacionismo e evolucionismo. A defesa do reduto evolucionista a páginas tantas evidenciava a preocupação face ao crescendo que a tese criacionista tem vindo a denotar. Na sua curial exposição respondia quanto ao porquê da sua preocupação: "Claro que me preocupo. Não quero de modo algum que haja a possibilidade dos meus netos virem a aprender na escola de que o Homem e o Mundo foi criado por Deus!" A minha resposta foi objectiva: "Como EU o entendo". Afinal de contas, essa foi uma uma das minhas preocupações enquanto pai, só que desta vez o que estava em causa era o "chorrilho" de pseudo-ciência que ainda hoje é ensinada nas escolas.
Aqui fica a pergunta: Para quando a possibilidade de opção dos alunos e encarregados de educação pelo ensino de um curriculum escolar criacionista?

2009-09-28

"A adega do fidalgo"

Diz o meu velhinho dicionário de estudante da P.E., na sua edição de 1975 que "fidalgo" é um indivíduo que tem títulos de nobreza, nobre, digno, generoso, de má boca. Achei curiosa esta última adjectivação. O epíteto assentava como uma luva neste restaurante da bairrada recentemente visitado. Este "fidalgo", com a sua petulância e sobranceria aparente, afinal, não era mais do que uma amarga experiência gustativa.
Mais uma vez, uma verdade universal se afirmava, uma boa "embalagem" não faz um bom "produto". De todo...

2009-09-25

Pérolas

O processo de "produção" natural de pérolas é deveras interessante. De uma forma simplista podemos afirmar que é a partir de um objecto exterior e estranho à ostra, que se aloja no seu interior, que irá dar início a todo o processo.
Quando um "corpo" estranho invade a ostra, este causa irritação no manto. A ostra para se proteger produz o nácar (madrepérola) que irá revestir esse "corpo" estranho. Este ficará aprisionado pelas sucessivas camadas de nácar que o vão revestindo e será desta forma que a ostra vai impedir que o dano se alastre. Estima-se que este processo pode demorar entre dois a três anos até que se chegue à "produção" final da pérola. As pérolas são assim, as únicas pedras preciosas que resultam do sofrimento e da dor.
Como seria bom que pudéssemos ver as "pérolas" que a dor de um momento pode vir a produzir no futuro!

2009-09-23

Lições de uma padeira

D. Luzia, padeira de profissão, encontrou no seu giro matinal de distribuição de pão 9.300 € em notas espalhadas no chão e algumas ainda dentro de uma pasta. Tinha-lhe saído o "pequeno milhões", pensarão alguns. Afinal levantar cedo no dia de ontem para ir trabalhar tinha valido a pena.
Enganam-se... Revelando uma inquestionável moral e desafiando os valores comuns e generalizados de "achado não é roubado", chamou a "Guarda" e entregou os 9.300 €. A GNR viria mais tarde a devolver a quantia ao proprietário.
"Eu não quero nada que não seja meu!" - afirmou.
Obrigada pelo seu exemplo D. Luzia.

2009-09-22

Escutas

Nunca o silêncio, valeu tanto, como nos dias de hoje. Pelos vistos ele é mesmo de ouro. Shhhh....

2009-09-21

Homossexualismo

Tenho para mim, que cada vez mais é difícil encontrar as "coisas" serem chamadas pelos nomes. Uma tergiversação cuidada pulula um pouco por todo o lado, rumo ao "politicamente correcto". Daí a motivação para a afirmação neste "post": Homossexualidade é pecado!
Pronto está dito.
Que arrogância, falta de amor, conservadorismo anacrónico, intolerância... hummm!
Ora como só conheço um livro que trate do Homem e do seu pecado (a Bíblia), o paradigma de base não poderia ser outro. Assim, para quem a Bíblia nada diz ou importa, certamente que não ficará ofendido com este "juízo", afinal, o que é que importa aquilo que a Bíblia afirma?
Para os demais, talvez valha a pena questionar os "lugares-comuns" de uma sociedade que de tolerante com a orientação sexual individual se está a tornar rapidamente numa sociedade incentivadora do comportamento e orientação homossexual.

2009-09-18

Uma razão que crê...

Recentemente 'tive' que reler o livro "A morte da razão", de Francis Schaeffer. Volvidos cerca de 25 anos após a sua primeira leitura, reconheço que muitos dos conceitos explicitados que na altura me pareceram insondáveis, hoje surgiram com uma clareza surpreendente. Acresce ainda que pude testar o meu sentido crítico face a algumas afirmações produzidas.
Concluindo, há coisas que só iremos desfrutar na sua plenitude na medida em que ocorrer o respectivo processo de crescimento e amadurecimento individual. Então, uma pergunta se levanta: quantos 'tesouros' se encontram ainda por descobrir à espera da maturação necessária para o seu reconhecimento?

2009-09-17

Aprender, crer, agir, ir

Aquilo que aprendemos, determina aquilo em que cremos. Aquilo em que acreditamos, determina o que fazemos. O que fazemos determina o nosso destino.

2009-09-16

Gostei



Tenho que confessar que gostei deste "revisitado" Gato. Apesar dos constrangimentos evidentes em diferentes momentos dos dois primeiros entrevistados, com mais alguns ensaios estarão prontos para serem cabeça-de-cartaz (não de lista) de um qualquer "stand up comedy".

Como considero que a capacidade de rir de nós próprios, é uma das maiores virtudes que podemos ter - ainda que fique latente as palavras da minha "mãezinha": com coisas sérias não se brinca - os "gags" construídos foram deliciosos.

Fico expectante quanto ao senhor que se segue.

2009-09-14

A vontade da vontade


Nunca se pode concordar em rastejar, quando se sente ímpeto de voar. - Helen Keller

2009-09-11

"intas"


Agora que os "trintas" estão a entrar na recta final, fica uma constatação: existem ainda muitos locais para descobrir, muita coisa para fazer, muitas pessoas para conhecer, ou seja, muito para aprender.
Recentemente pude acrescentar um pouco ao meu parco conhecimento gastronómico. O meu amigo O. presenteou-me com um fruto para mim desconhecido até então: o "solanum muricatum" isto é, a "pêra-melão". Fiquei cliente. Como o nome indica é um mesclar de sabor que oscila quase que simultaneamente entre o sabor da pêra, a textura do melão... um deleite!
Se puderem, experimentem!

2009-09-09

"Deu-la-Deu"

Neste Verão, tomei conhecimento da lenda/história de Deu-la-Deu Marins. De forma sucinta resume-se ao seguinte:
Deu-la-Deu Martins, mulher do capitão-mor de Monção, Vasco Gomes de Abreu viveu no século XIV, no tempo das guerras entre D. Fernando de Portugal e D. Henrique de Castela. Foi nesta conjuntura que o galego D. Pedro Rodriguez Sarmento pôs cerco à vila de Monção com um poderoso exército, aproveitando a ausência temporária do seu capitão-mor.
A vila aguentou corajosamente o cerco sob o comando de Deu-la-Deu Martins, apesar da escassez de alimentos. No entanto esta escassez chegou ao limite de ruptura e foi então que Deu-la-Deu mandou fazer alguns pães e bolos da pouca farinha que restava. Deu-la-Deu Martins subiu então com os pães à muralha e atirou-os aos sitiantes, gritando-lhes o quanto ainda abundavam os mantimentos e provisões na cidade. A fome também já se tinha instalando no arraial inimigo. Assim, pensando que o cerco ainda estaria para durar decidiu retirar para Espanha, abandonando-o definitivamente.

Em tempos como os que vivemos no nosso país, gostaria de pensar que das próximas eleições sairá uma "Deu-la-Deu Martins", com coragem, imaginação e firmeza suficiente para inverter o cerco a que nós próprios nos confinamos na última década.
Talvez, desta vez, os pães e bolos sejam substituídos por laranjas. Fica ainda o desejo, que deste cabaz de citrinos haja o discernimento suficiente para apartar as laranjas podres.

2009-09-08

Por estes dias estou assim... pasmo!

Nestes últimos dias estou assim: pasmo, estupidamente pasmo! A pretexto de uma contemporização de "mensagem", fui despertado pela crescente subserviência desta face ao pluralismo, universalismo e relativismo. Para desespero meu, tenho verificado que este processo tem encontrado aceitação atroz em alguns meios de elites pretensamente evangélicas, começando agora a invadir também este "jardim à beira mar plantado".
Fica o desejo secreto, de que esta "emergência" não seja de todo mais um modismo, ou seja, ainda que contrário às "regras gramaticais" venha a ser tolerado e assimilado.

2009-09-07

Reflexões avulsas

"La construcción del mundo en nuestra actualidad no es atea, no necesariamente se niega a Dios en los cimientos, directamente se le olvida. Son los peligros de una desviación totalitara."
Luigi Negri

2009-09-03

Oração

"Ensina-nos, ó Deus, que Tu não tens necessidade de nada. Se algo Te fosse necessário, isso seria a medida da Tua imperfeição; como adoraríamos alguém imperfeito? Se nada Te é necessário, então também ninguém é necessário e esse ninguém inclui-nos a nós.
Tu nos buscaste, embora não tenhas necessidade de nós.
Nós Te buscamos porque precisamos de Ti, pois em Ti vivemos, nos movemos e existimos."
- A. W. Tozer

2009-08-27

2009-08-26

Educação

Ramalho Ortigão descrevia, há mais de cem anos atrás, o estado do ensino em Portugal da seguinte forma:
"Querido leitor! o modo mais eficaz de seres útil à tua pátria é educares teu filho. Consagra-te a ele. A educação pública é uma burla atrozmente vergonhosa. Não lhe entregues a criança que o destino te confiou. Educa-o tu. Se não souberes mais, procura pelo menos torná-lo forte, ensina-lhe a ler e a escrever, dá-lhe um ofício e fá-lo um homem de bem; ele de si mesmo se fará um sábio, se tiver de o ser. A ignorância tem isso de bom: que se desfaz aprendendo. A falsa instrução tem esta perfídia: não dá o ensino e inibe de o tomar." - As Farpas, Tomo VIII.

Quanto ao estado das coisas hoje: "até quando diremos nós..."

2009-08-25

Sara Tavares - Ponto de Luz



Escutando no vento
Tua voz secreta
Que me sopra por dentro
Deixe-me ser só ser

No teu colo eu me entrego
Para que me nutras
E me envolvas
Deixa-me ser só ser

Um ponto de luz
Que me seduz
Aceso na alma

Um ponto de luz
Que me conduz
Aceso na alma

Por trás dessa nuvem
Ardendo no céu
O fogo do sol rai
Eternamente quente
Liberta-me a mente
Liberta-me a mente

Um ponto de luz
Que me seduz
Aceso na alma

Um ponto de luz
Que me seduz
Aceso na alma

2009-08-21

Quem pode, pode

A autoridade reguladora de importação de veículos chineses, acaba de proibir a importação dos modelos Laguna, Megane e Megane CC, rotulando-os de "perigosos". Não deixa de ser curioso que estes mesmos veículos obtiveram a classificação de 5 estrelas no que respeita a segurança nos testes realizados pela NCAP (onde curiosamente alguns veículos de construtoras chinesas simplesmente têm ficado desfeitos, ao realizar esses mesmos testes).
Concerteza que será mera coincidência o facto do Dalai Lama ter sido recentemente honrado com a menção de "cidadão honorário" da cidade de Paris. Mais comentários, para quê?

2009-08-20

Percalços

A nossa mente é algo absolutamente deslumbrante. Ela começa a trabalhar logo desde o nosso nascimento e só termina de o fazer quando nos levantamos para falar em publico.

2009-08-18

Para os esquecidos

Provavelmente o som mais importante e mais doce para alguém, é quando ouve o seu nome a ser pronunciado. Assim, para os distraídos (como eu) que têm alguma dificuldade em reter "nomes", importa ter um esforço adicional de retenção, que poderá passar pelos seguintes exercícios:
- ouvir e perceber bem o nome;
- criar uma imagem mental associada ao nome;
- adicionar detalhes e pormenores a essa mesma imagem;
- repetir o nome, durante o tempo de conversa.

2009-08-17

Regressos e partidas

A vida é cheia de regressos e partidas. Quem não gosta de sentir o regresso a casa após uma mais ou menos longa estada fora? Ou o reencontro com aqueles lugares ou pessoas que fazem parte de uma memória que o tempo não consegue desvanecer?
Quem não gosta de sentir aquele frenesim que antecede a partida para uma nova aventura, ou desafio? Quem não se lembra do nervosismo da entrada para o primeiro dia de aulas, para o novo emprego, ou simplesmente para uma nova "vida"?
Neste corrupio de entradas e saídas, umas temporárias, outras definitivas subjaz um pressuposto: a dinâmica do movimento. "Parar, é morrer!" ecoa prontamente no néon do pensamento. Mas mais do que o movimento per si, importa discorrer da caminhada que se pretende encetar, pois "quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve".

2009-08-14

"Elogio da Velhice"

A Idade só se Aplica às Pessoas Vulgares
A tendência para colocar uma ênfase especial ou organizar a juventude nunca me foi cara; para mim, a noção de pessoa velha ou nova só se aplica às pessoas vulgares. Todos os seres humanos mais dotados e mais diferenciados são ora velhos ora novos, do mesmo modo que ora são tristes ora alegres. É coisa dos mais velhos lidar mais livre, mais jovialmente, com maior experiência e benevolência com a própria capacidade de amar do que os jovens. Os mais idosos apressam-se sempre a achar os jovens precoces demasiado velhos para a idade, mas são eles próprios que gostam de imitar os comportamentos e maneiras da juventude, eles próprios são fanáticos, injustos, julgam-se detentores de toda a verdade e sentem-se facilmente ofendidos. A idade não é pior que a juventude, do mesmo modo que Lao-Tsé não é pior que Buda e o azul não é pior que o vermelho. A idade só perde valor quando quer fingir ser juventude.
Hermann Hesse, in 'Elogio da Velhice'

2009-08-13

Estima

"Os portugueses não têm falta de auto-estima, mas sim falta de dinheiro, Francisco".
É impressionante como alguns teimam na construção de símbolos de desenvolvimento e bem-estar dependentes da quantidade das "verdinhas" que cada um tem no alforge.

2009-08-12

Conhecimento ardiloso

"Quanto mais conhecemos, menos acreditamos. Estranho, não acha? O conhecimento do processo não deveria desmentir o milagre. O conhecimento deveria suscitar a admiração. Quem tem mais razão para adorar que o astrónomo que vê as estrelas? Que o cirurgião que segura corações nas mãos? Que o oceanógrafo que sonda as profundezas? Quanto mais conhecemos, mais deveríamos nos maravilhar.

Ironicamente, quanto mais conhecemos, menos adoramos. Estamos mais impressionados com a nossa descoberta do interruptor do que que com o inventor da electricidade. É a lógica dos cérebros-de-grilo. Em vez de adorarmos o Criador, adoramos a criação"
- Max Lucado

2009-08-10

Eternamente jovem

Quando pensamos que sabemos todas as respostas, não nos surpreendamos que alguém mude todas as perguntas. A verdade é que não conhecemos todas as respostas nem tão pouco todas as perguntas. Assim, estar disposto a aprender e a reaprender é a primeira característica de um espírito jovem.

O Credo

"Este Credo é muito simples e aqui está: acreditar que nada é mais belo, profundo simpático, razoável, varonil e mais perfeito que Cristo (...) Além do mais se alguém me provasse que Cristo está fora da verdade, preferiria estar com Cristo a permanecer na verdade."
- Dostoiveski

2009-08-07

Activismo puro

"O simples activismo pode ser heróico, mas em última análise o agir exterior não dá fruto e perde eficácia se não nasce da íntima e profunda comunhão com Cristo. O sacerdote deve ser sobretudo um homem de oração"- disse Bento XVI.
Humm... Estou "desconfiado" quanto a quem anda a preparar os discursos do papa.

2009-08-06

Uma tarde de Verão

Esta não era seguramente uma tarde idílica de Verão. Uma indisposição súbita de um familiar levou-me a uma tarde de espera nas "urgências" de um hospital do Norte. Tal serviu para observar a realidade dura e crua da existência humana:
- A vida não é perene mas extremamente fugaz: "Nós não somos nada"! - era a exclamação de um acompanhante de um doente que acabava de dar entrada no serviço;
- O esforço desenvolvido por uma panóplia diferente de pessoas (bombeiros; polícias; socorristas; enfermeiros; auxiliares; médicos...) para preservar a vida humana;
- A dor física e emocional estampado nos rostos dos doentes;
- A angústia da incerteza perante a doença imprevista ou o acidente ocorrido;
- A solidão de alguns que chegavam sem ninguém e não tinham ninguém para quem voltar;
- A camaradagem do "gang" que não arreda pé enquanto não tem a certeza que um dos seus elementos, que entrara a esvair-se em sangue não corre perigo de vida;
- A carrinha da polícia de intervenção que passa para lembrar que está "por perto" para qualquer eventualidade;
- O doente que com um ferimento profundo na face, vai a conduzir sozinho até à entrada das "urgências" e aí abandona o carro, numa declaração silenciosamente gritante: "a saúde é mais importante que qualquer bem material".

Perante esta realidade apenas uma certeza me pacifica o coração: "O meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a Terra".

2009-08-05

Pelo sonho

O sonho, Sebastião Artur Cardoso da Gama

Pelo Sonho é que vamos,
comovidos e mudos.
Chegamos? Não chegamos?
Haja ou não haja frutos,
pelo sonho é que vamos.

Basta a fé no que temos,
Basta a esperança naquilo
que talvez não teremos.
Basta que a alma demos,
com a mesma alegria,
ao que desconhecemos
e do que é do dia-a-dia.

Chegamos? Não chegamos?

- Partimos. Vamos. Somos.

2009-08-03

2009-07-16

Uma heroína chamada Isabelle

"Uma menina de dois anos salvou a mãe, que desmaiou em casa, ao ligar o 999, número de emergência na Grã-Bretanha. Deu o nome, endereço e número de telefone e, sozinha, chamou uma ambulância, em Bournemouth, Dorset.

De acordo com a «Associated Press», Isabelle Keeling ligou para o número de emergência, quando a mãe, Joanne, de 34 anos, sofreu uma reacção alérgica.

A menina abriu a porta de casa para os vizinhos e os paramédicos irem ajudar a mãe.

Pelo que se sabe, no dia anterior, a menina tinha visto um episódio do programa infantil «Tweenies», em que os personagens ensinavam a ligar para o número de emergência.

«O que ela fez foi fantástico. Nunca imaginei que a sua habilidade para reter informação, pudesse vir um dia a ajudar-me», disse Joanne Keeling." - TVI24


2009-07-15

Dilema de hoje

Porque o querer ajudar alguém não chega, é necessário saber como o fazer...

2009-07-14

Ciência Viva


Iniciaram-se ontem as inscrições para as actividades de Verão promovidas pela "Ciência Viva", que se realizarão um pouco por todo o país. Esta é uma forma interessante de desenvolver o espírito científico dos mais jovens e fazer rejuvenescer os mais velhos. Desde as visitas a faróis, barragens, ou pura e simplesmente descobrir a "química" das plantas no fabrico de perfumes, pode-se apreender de forma diferente o mundo que nos rodeia, através de multi-facetadas áreas do saber (astronomia, biologia, engenharia e geologia).
Afinal de contas, este é o nosso "admirável mundo".

2009-07-13

Escada sem corrimão

"É uma escada em caracol
e que não tem corrimão.
Vai a caminho do Sol
mas nunca passa do chão.
Os degraus, quanto mais altos,
mais estragados estão.
Nem sustos nem sobressaltos
servem sequer de lição.
Quem tem medo não a sobe.
Quem tem sonhos também não.
Há quem chegue a deitar fora
O lastro do coração.
Sobe-se numa corrida.
Corre-se p'rigos em vão.
Adivinhaste: é a vida
a escada sem corrimão."

David Mourão Ferreira

2009-07-10

A verdadeira "auto-emocion"

"Bem-aventurados os que se riem de si próprios, porque jamais ficarão sem se divertir!"

2009-07-09

O rapaz e o papagaio



O areal extenso e o vento norte que ontem soprava, criavam as condições ideais para o lançamento do "papagaio de papel".
A mãe solícita, dava instruções... Pedro, o filho, preparava-se. Ouve-se então a voz de comando que se aguardava: "Pedro, solta o papagaio!" Mas Pedro não soltava... "Larga o papagaio!" - ouvia-se mais alto. Pedro, renitente, não o largava. A mãe insistia, gesticulava e gritava cada vez mais alto: "Larga, agora!".
Pedro, mostrava-se intransigente... "Larga, já te disse!" Pedro finalmente confessou: "Tenho medo que ele fuja com o vento!"

Muitas vezes só existe uma maneira de podermos ver algo subir mais alto: é quando "abrimos mão dela".

2009-07-08

Palavras bondosas

Provavelmente, amanhã esquecer-nos-e-mos de palavras bondosas proferidas hoje a alguém. No entanto, é também muito provável que essas palavras encontrem um lugar para residir durante longo tempo na vida do receptor.
Mas certo, certo, é a Palavra que fará a diferença entre a vida e a morte!

2009-07-07

O tempo que passa

Quando deixamos a nossa prole, num qualquer estágio de Verão de uma Faculdade da cidade, faz-nos lembrar que talvez os cabelos brancos que vão surgindo, sejam cada vez menos "visitantes" e cada vez mais "residentes".
E pensar que ainda ontem andava de joelhos "esmurrados" nos calções remendados pelas mãos prendadas da minha mãe...

2009-07-06

Genuinidade

Gemidos inexprimíveis, vêm de um coração que anseia por socorro e ajuda. Embora não perfeitamente inteligíveis a sua articulação materializa uma realidade: o desespero de uma alma. Talvez seja esta a primeira oração genuína...
Sal 5:1-2

2009-07-03

2009-07-02

Quando retirar não é uma opção

"Quando Júlio César vindo da Gália cruzou o canal da Mancha, desembarcou com as suas legiões no que é hoje a Inglaterra. Para garantir o êxito do seu exército na conquista desta nova terra, ele tomou uma decisão estratégica e radical.
De forma hábil mandou os seus soldados acantonarem-se nos penhascos de Dover e ordenou que se incendiasse a frota de barcos que os tinham transportado. Estes, olhando as ondas a duzentos pés de altura, viram línguas vermelhas de fogo a consumirem todos os navios. Em território inimigo, quebrado o último elo de ligação com o Continente, queimavam-se as derradeiras esperanças de retirada. Só havia uma coisa a fazer: avançar e conquistar. E foi o que precisamente fizeram.

Lançar todos os pensamentos negativos para dentro da fogueira devoradora e fechar as portas de aço a todas as saídas para o passado irresoluto, é muitas vezes a única maneira alcançarmos de vitória..."

2009-07-01

Que rica canja...


Um dos sabores que reside na minha memória de infância é sem dúvida a canja de galinha. O aroma e textura da galinha, embrulhada nas massinhas que dançam na água cremosa, fundem-se num estouro de sensações absorvidas sofregamente pelas papilas. É sem dúvida uma inebriante viagem no tempo!
Como "esquisito" que sou, já há alguns anos que não deglutia tão sublime caldo. Ou a galinha era criada de forma "libertina", ou os "pseudo-frangos do campo" a mim não me convenciam. Nada de aviários camuflados de galinheiros, ou de caldos industrialmente produzidos.
O jejum contudo acabou, quando os meus amigos O. e I. ofereceram um elegante frango da sua criação. Hummm...

Sem dúvida que as coisas simples da vida, podem ser aquelas que mais significado nos trazem.

2009-06-30

S(amar)itano



Quando a parábola do "bom samaritano" deixa de fazer sentido nos nossos dias, algo está muito mal na nossa comunidade...

2009-06-29

Construções


"Um homem bem-sucedido é aquele que é capaz de construir uma base firme com os tijolos que lhe são atirados pelos seus adversários."
- David Brinkley, repórter de TV

2009-06-27

What goes around...

O Presidente Executivo da PT, Zeinal Bava, justificava como necessidade imperiosa para a PT a compra da Media Capital, para ultrapassar o suposto espartilho em que a empresa se encontra quanto ao fornecimento de conteúdos para o MEO.
Talvez fosse bom lembrar, que as actuais condições de mercado foram, ao que parece, fortemente condicionadas pela anterior equipa de gestão da PT Multimédia (hoje Zon), devido à tipologia dos contratos então celebrados. E quem era, à data o Presidente da PT Multimédia? Ele próprio... Zeinal Bava!
Pois é...

"Aquilo que o homem semear, isso também ceifará!"

2009-06-26

Memórias de outros tempos


"Lisboa, 2 de Outubro de 1967

Menina Lúcia,

Espero que esteja bem de saúde, quando receber esta minha simples carta.
Ficará, talvez, surpreendida ao ler estas letras escritas com tanto amor.
Amo-a há muito tempo e dava a vida para obter de si nem que fosse apenas um pedaço do amor que eu sinto por si. Só agora consegui vencer a minha timidez e confessar-lhe os meus sentimentos. Espero que não namore e que eu não lhe seja, de todo, indiferente.
Fico à espera da sua resposta e de ver concretizada a maior ilusão da minha vida.

Adeus, cumprimento-a com muito respeito e amor,

João Manuel Gama"

2009-06-25

Perspectivas

No Norte: "São nove menos cinco!"
No Sul: "São cinco para as nove!"

Duas perspectivas, a mesma realidade.
Consequências diferentes... certamente!

2009-06-23

Sistemas de alarme

Recentemente vou a ligar o carro e... nada!
A bateria estava completamente descarregada. Não tinham passado mais que 3 dias que o carro tinha estado imobilizado, e a bateria... foi-se. Acresce que era uma bateria comprada na semana anterior. Hummm, será que tinha comprado "gato por lebre"? Uma ida ao "mecânico" de imediato esclareceu a dúvida: "Existe um problema com o alarme que o faz consumir demasiada energia, por isso a bateria descarregou tão depressa!"

Isto fez-me pensar que quando estamos demasiadamente "alerta", vamos acabar por consumir energia desnecessária. Talvez até se evite um ou outro sobressalto, mas acabamos por nos esgotar. Quer isto dizer que não devemos "vigiar"? De todo... O problema aqui não é o do "vigiar", mas sim o de confiar num "alarme" avariado!

2009-06-22

De mostarda a batata



"A semente para a ocorrência de um milagre não está na dificuldade da sua realização, mas sim da impossibilidade da sua ocorrência."

(se alguém encontrar as legendas em pt, agradece-se)

2009-06-19

Ainda as "lists"

Será que quando a nossa vida não consegue escapar a uma sucessiva enumeração de listas, este não é apenas um sinal do sepultamento da espontaneidade e criatividade no inerte solo da apatia?
Ou será que a ausência de itens, numa qualquer "to do" list, apenas aponta para uma inutilidade factual.
Apesar de tudo, talvez seja melhor ter uma "to do" list, ao invés de uma "not to do" list

2009-06-18

As inevitáveis "lists"

Play-list, check-list, packing-list...
A ditadura anglo-saxónica das "list" é apenas mais um exemplo da perversão da vernaculidade lusa. Um outro exemplo. Recentemente ouvia alguém sugerir: "Vamos fazer um 'workshop' de língua portuguesa?"!
Enrolei a língua para não vociferar nenhum impropério!

2009-06-17

"Handicap"

Estacionei o carro e vislumbrei do lado de lá da rua, a insegurança e dificuldade de uma senhora a tentar atravessá-la. Solícito, aproximei-me dela para lhe oferecer a segurança que um braço de amparo poderia dar para completar a empreitada. Consentiu e agradeceu...
Embora não aparentando muita idade, os seus passos não se estendiam mais que uns escassos 5 cm em cada passada. O trânsito parou. A travessia foi demorada e longa para cruzar aqueles escassos 10 m de estrada. No entanto, o respeito pela dificuldade alheia imperou e as buzinas características da nossa cultura rodoviária não se fizeram ouvir.
Apoiada em apenas uma "muleta" questionei-a: "Não seria melhor se utilizasse duas muletas?". Com ar reprovador respondeu-me: "Eu? Eu não sou inválida!".
Emudeci...

Porque será tão difícil olharmos para nós próprios e percebermos que não somos muito mais do que esta "pobre" senhora, pensando de nós mesmos muito mais do que convêm?

2009-06-16

A francesinha


Verdade fundamental: O problema de uma francesinha devorada fora de horas, revela-se ao pequeno-almoço do dia seguinte.

2009-06-15

A mensagem do amor

Quando a mensagem do "Evangelho-solução" não encontra aceitação, a mensagem do Amor traduz a essência desse mesmo Evangelho, afinal de contas, acima de tudo "Deus é Amor".
Benvinda R..

2009-06-12

A decisão de amar

Precisamos ser amados por alguém que nos escolheu amar e não por um acto involuntário ou instintivo de alguém!
- Gary Chapman

2009-06-09

A importância de um... sorriso!

Alguém comentava com outro: "O que me fez logo sentir bem ao chegar, foi ver o teu sorriso!"
Não, não era um sorriso circunstancial. Era um transbordar de alegria e regozijo.
Esta também, tinha sido uma marca que me tinha ficado quando a conheci, há 4 anos atrás: o resplandecente sorriso estampado no rosto.
Talvez pensemos que não temos muito a oferecer, mas quem pode afirmar que não pode oferecer um sorriso?

"O coração alegre, aformoseia o rosto" - Prov 15:13

2009-06-08

Surpresa

Por definição todos nós gostamos de surpresas. Normalmente estas são rapidamente associadas a coisas positivas. Quando falamos em "surpresa", a imagem de algo que é bom e agradável desenha-se na mente. O inesperado acontece, o imprevisível concretiza-se, o marasmo da rotina é quebrado!
Não, não estou a falar do recente resultado eleitoral, embora este tenha sido sem dúvida surpreendente!
A surpresa de uma nova vida, essa sim é totalmente marcante.
A expectativa cresce, o sorriso rasgado deixa transparecer a plenitude interior, o coração transbordante de amor da vida abundante que agora jorra, dissipa qualquer dúvida.

Um desejo: que a expectativa da surpresa de uma nova vida seja uma realidade constante...

2009-06-05

Recomeços

Após quase um ano de abstinência de comunicação cibernáutica, volto à exposição pública.
Esta liberdade de "desaparecer" e voltar a aparecer, sem a pressão do "clientelismo" do leitor diário é-me plenamente agradável.
Afinal de contas, se já todas as coisas foram ditas, porquê recomeçar?
Bem, talvez porque ninguém as escute, ou porque talvez "eu" não as retenha...

Hummm... quanto tempo durará este recomeço? Talvez menos do que deveria, talvez mais do que fosse desejável.

A ver vamos!