2006-06-06

O rato, a galinha e o porco

A vida decorria serena e pacata na quinta. Certo dia, o inusitado acontece. Corria a notícia de que o lavrador tinha instalado ratoeiras para apanhar o rato, que insistentemente devorava o queijo que a quinta produzia. O rato, alvoraçado alertou a galinha, que ouvindo o que este transmitia perguntou-lhe: "Mas, que tenho eu a ver com isso? Essa ratoeira é só para ratos! Não vejo o porquê de tanta preocupação". Ainda mais alarmado com a indiferença da galinha, sabendo do perigo que corria, o rato procurou auxílio junto do porco. A resposta foi análoga: "Mas, achas que devo preocupar-me com uma ridícula ratoeira para ratos?".
O rato, voltou costas e refugiou-se na sua toca sem saber muito bem o que mais poderia fazer.
Nessa noite, enquanto dormia foi acordado pelo alvoroço do disparar da ratoeira. E quem tinha sido apanhado? Uma enorme e venenosa cobra. O barulho veio despertar a mulher do lavrador, que dirigindo-se ao celeiro, sem saber o que tinha acontecido, acabou por ser mordida pela cobra que tentava fugir à armadilha.
A mulher, rapidamente adoeceu. Na cama, com febres altas, o homem procurava tratar da sua esposa. Para a alimentar, o que é que o lavrador foi fazer? Uma canjinha!!! E como é que se faz uma canja?....
A mulher continuava doente, então, os familiares que foram alertados para a gravidade da situação vieram visitá-la. E, ficaram por alguns dias. Era então necessário alimentar todos eles. Que fazer? Matar o porco...

Não sejamos pois egoístas ao ponto de pensarmos que o problema de um, não é um problema de toda a comunidade. Antes, contribuamos de forma prática para ajudar a quem se nos dirigir a requerer auxílio.

3 comentários:

Lai disse...

Mas, porque é que tem de ser "sempre" a mulher a adoecer, a ficar com febres altas, a serem mordidas, a morrerem etc etc ??
Em Mat 22:27 a mulher é a ultima a morrer (depois da sepente, da galinha, do porco e do marido) "Por fim, depois de todos, morreu também a mulher"
(he, he, he)
Agora falando a sério: Devemos sempre atender a todos e expressar o amor de Deus de igual modo por todos, seja pelo Sr Doutor Vice Procurador da Republica, seja pelo Sr Serralheiro ou pelo Sr Toxicodependente. Cristo morreu da mesma forma por todos.
A cruz é de todos e para todos...

JOINCANTO disse...

"...e o rato quando pensava que se tinha safado casou com uma rata, tiveram muitos ratinhos e passado uns anos percebeu que afinal tinha caído na verdadeira ratoeira..."
eheheheh

Raquel disse...

As "ratoeiras" dão que pensar: supostamente são para ratos, mas um descuidado, pouco atento também lá pode cair... e os indiferentes,os que não têm amor ao próximo pensam que não caem lá, mas a verdade é que já morderam o isco...