2006-09-28

Perseverança

1968, Jogos Olímpicos na Cidade do México. À medida que os atletas se preparam para a maratona, os comentadores especulam quem será o vencedor. A maioria das atenções centra-se em Mamo Wolde da Etiópia. E com razão! Na verdade seria ele a ganhar a prova, mas não seria o único vencedor nesse dia.

O juiz dispara a pistola e os atletas iniciam a corrida à procura da medalha de ouro. Um desses atletas é John Stephen Akhwari da Tanzania. A determinada altura ele vê-se envolvido no meio de outros atletas, cai e lesiona gravemente a perna. Com profunda angústia ele vê os outros atletas passarem por ele...
John Stephen Akhwari não vencerá a maratona nesse dia. Mas terá falhado?

Vamos para a parte final da corrida... Wolde, ganhou a prova. Uma hora depois, começa a anoitecer e os últimos espectadores abandonam o estádio. De repente a sua atenção é despertada pelas sirenes da polícia. A porta de entrada dos maratonistas abre-se e por incrível que pudesse parecer, um último maratonista solitário entra cambaleante no estádio para a última volta. É John Akhwari. Contorcendo-se com dores, a passo lento, coxeando em cada passada, sabendo que já não pode vencer a corrida, mesmo assim ele continua. Finalmente atravessa a linha de chegada e cai estatelado.

"Porquê?" - perguntarão alguns. "Porque é que ele não desistiu depois de se ter magoado?" Afinal de contas ele já não poderia vencer a corrida.
A resposta de John é assombrosa:"O meu país não me enviou à Cidade do México para iniciar uma corrida, mas sim para acabar a prova"...

Que arma poderosa é a perseverança.

3 comentários:

Ego ipse disse...

Fantástico!! Nós tambem somos chamados para terminar a prova!!!

Lai disse...

Quanto a mim, ele chegou em primeiro lugar!!

História fantástica...

DTA
Lai

sofia disse...

Como gostava de ter um pouco mais dessa determinação....

DTA :-)