2005-09-20

Quando o relógio pára

O relógio de parede parou!
Também para M. T. A. o relógio da sua vida aqui parou.
Coincidência? Não sei responder...

Aos 77 anos, uma nova jornada iria iniciar-se.
Homem de trato afável, humilde, cuidado, meticuloso e de uma enorme integridade, deixa a sua marca nas pessoas que o conheceram.
Contudo, M. T. A., apesar de ser aquilo que normalmente considerariamos como "uma boa pessoa", compreendeu no final dos seus dias que isso não era suficiente. Compreendeu que havia algo que lhe faltava, e esse algo era Jesus.
De vontade própria abraça Aquele que há muitos anos esperava por ele. Três semanas depois, o até então Deus Criador de todas as coisas, o chama a si como Deus Pai, Senhor e Salvador!
A M.T.A. agradeço a filha que me entregou, na certeza de que voltaremos a encontrar-nos.
A tristeza da partida não encobrirá a alegria da certeza do reencontro.

"a vereda dos justos é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito"
- in Bíblia

2 comentários:

Vilma disse...

"A tristeza da partida não encobrirá a alegria da certeza do reencontro." Que paz poder sentir algo assim! Na partida de alguém que se ama, na saudade que deixa, nada de desespero...!

KEL disse...

Partilhamos também do vosso choro por causa da saudade e da alegria, por um dia abraçarmo-nos no céu.
Um beijinho.