2005-05-20

Fugir em frente

Alguns dias atrás, estava a ver um documentário sobre os Descobrimentos Portugueses, do ponto de vista de um historiador espanhol. Embora muitas vezes tenha ouvido que "Portugal deu a conhecer novos mundos ao Mundo", o relato feito por esse historiador, veio dar uma nova relevância a este facto.
Na verdade, fomos um povo destemido e oudaz.
Hoje, pelo contrário, vivemos numa letargia cultivada por uma mentalidade de escape e de fuga, que nos aprisiona e devora.
Vivemos na era do "fast-living". "Fast-food", "Via Verde", "fraldas descartáveis"... privilegiamos acima de tudo o que é efémero.
As relações sociais e afectivas, são nutridas por relações mais ou menos equívocas de interesses momentâneos, visando a obtenção de resultados imediatos.
No imediatismo procuramos soluções para tudo aquilo que nos preocupa e aflige, sem contudo dedicarmos o tempo necessário a que nos possamos contextualizar na família, na sociedade e no mundo. Do Estado, detemos uma visão paternalista.
Perdemos a ambição de nos projectarmos no futuro, de construirmos obras perenes e que prevaleçam, não obras de "madeira, de feno ou palha" que para nada aproveitam.
A eternidade deixou de fazer parte do nosso vocabulário e muito menos do nosso horizonte. Caminhamos, caminhamos, numa fuga desenfreada... Em frente... rumo ao "nada".
Reduzimos a nossa existência a uma mera vivência de 70 ou 80 anos.
Talvez isto vos satisfaça e realize. A mim, não!
Acredito que cada um de nós faz parte de uma causa maior que transcende a nossa própria existência.
Tal implica necessariamente ter um propósito de vida, o caminho percorrer, para um destino atingir.
Eu já encontrei essa causa, esse Caminho.
Faço votos que vocês também.

1 comentário:

JOINCANTO disse...

E que sábias palavras...

Mas olha que por vezes existem situações que se nos deparam que o melhor que fazemos é fugir!
Pensa por exemplo em José diante da mulher (nua) de Potifar...

Mas concordo que muito do nosso esforço, trabalho e preocupações não passam de obras de cartolina podre.